APD: Saúde Nutricional dos Portugueses

8 de Julho de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Graça Raimundo, Associação Portuguesa de Dietistas, 29/05/2010

APDA Associação Portuguesa de Dietistas considera que no Plano Nacional de Saúde 2011-2016, para se ir ao encontro das metas e ganhos em saúde deve existir uma estratégia integrada e intersectorial na saúde nutricional dos cidadãos.

Para tal deverá desenvolver-se as seguintes áreas:

  • Concepção e implementação de programas de capacitação na área da segurança alimentar e alimentação saudável aos cuidadores, decisores e gestores de instituições de ensino do pré-escolar ao ensino superior, instituições para geriatria, cantinas, refeitórios de empresas, estabelecimentos de restauração, do consumidor, permitindo o aumento da literacia em saúde;
  • Concepção e implementação de programas e de consultas multidisciplinares, com integração de dietistas, direccionadas para as populações mais vulneráveis e doenças crónicas mais incidentes e prevalentes;
  • Reforço das áreas da educação alimentar, desenvolvimento de hábitos de vida saudável e prevenção da doença, nos curricula escolares do pré-escolar ao ensino superior;
  • Integração de Dietistas e equipamentos necessários a uma adequada vigilância e intervenção nutricional (p. ex. instituições de ensino do pré-escolar ao ensino superior, instituições para geriatria, cantinas, refeitórios de empresas, hospitais, ACES, IPSS, entre outras) numa proporção de 1/20.000 utentes nos cuidados de saúde primários; 1/75 camas nos cuidados de saúde secundários e terciários (p. ex. cuidados continuados);
  • Integração de dietistas na concepção e desenvolvimento das políticas alimentares e nutricionais comunitárias e na regulamentação de Unidades de Recursos Assistenciais Partilhados;
  • Desenvolvimento de acções com a indústria alimentar de forma a garantir a qualidade higio-sanitária dos seus produtos mas também a qualidade e equilíbrio nutricional;
  • Avaliação do risco nutricional na admissão hospitalar e monitorização durante o internamento e ambulatório (Resolução do Conselho Europeu (ResAP, (2003), 3 de 12 de Novembro de 2003);

Graça Raimundo, Associação Portuguesa de Dietistas

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*