APF: Prestação de Cuidados de Fisioterapia

14 de Julho de 2010 / 7 Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Isabel de Souza Guerra, Associação Portuguesa de Fisioterapeutas,

APFNa sequência da abertura à população de apresentação de sugestões para o Plano Nacional de Saúde (PNS), vem a Associação Profissional de Fisioterapeutas, representante dos Fisioterapeutas Portugueses, apresentar o seu contributo naquilo que se relaciona com a prestação de cuidados de Fisioterapia: O primeiro aspecto que gostaríamos de mencionar é que a Fisioterapia é a terceira maior profissão prestadora de cuidados não só na Europa como também em Portugal.

Existem no momento cerca de 6000 Fisioterapeutas no nosso País, grande parte com as suas licenciaturas realizadas em Escola Públicas e é esperável que sejam cerca de 10000 em 2015.

Por outro lado, a World Health Professions Alliance (WHPA) – organização internacional que representava organismos mundiais de quatro profissões de saúde, – enfermeiros, médicos, dentistas e farmacêuticos – integrou recentemente a
fisioterapia através da sua representante mundial, a World Confederation of Physical Therapy (WCPT). A WHPA é, neste momento, a maior e mais poderosa organização mundial para os profissionais de saúde. Através das suas cinco organizações daqueles profissionais representa mais de 600 organizações nacionais filiadas, falando para 26 milhões de profissionais de saúde em mais de 130 países.

Esta aliança permite o trabalho em colaboração de profissionais de saúde de todo o mundo, estando a Fisioterapia ao nível das outras quatro grandes profissões de Saúde.

Visualize a continuidade do contributo:

Isabel de Souza Guerra (Presidente do CDN, Associação Portuguesa de Fisioterapeutas)

7 comentários sobre “APF: Prestação de Cuidados de Fisioterapia

Comentar ou contacte-nos via Twitter @pns

  1. O meu sincero e muito obrigado pelo trabalho desenvolvido pela APF. Sinto que ainda há muito por fazer,mas estamos no bom caminho…
    Saúde para todos e muito sucesso!

  2. Visão “holistica” do que é a Fisioterapia e do que ainda não é em Portugal. Apesar de o caminho ter sido quase sempre muito tortuoso e doloroso os fisioterapeutas, graças em grande parte aos seus dirigentes, conseguindo ir caminhando no sentido de uma profissão autónoma e responsável. Não podemos no entanto esquecer que o caminho é feito por cada um de nós e que a forma como o fazemos hoje, irá certamente condicionar o amanhã de uma profissão que se quer AQUI e AGORA com TODA A QUALIDADE em Prole do bem estar do doente.
    Muitos PARABÉNS á APF pelo seu tão importante contributo para o que é hoje a Fisioterapia e também a todos os fisioterapeutas que muito têm feito para que o Utente/cliente reconheça e valorize cada vez mais o trabalho desenvolvido.

  3. Os meus mais sinceros parabéns pois vejo finalmente uma visão perfeita do enquadramento do fisioterapeuta nas várias áreas de actuação em saúde. Os cuidados primários e prevenção, os cuidados diferenciados e cuidados continuados são, na minha opinião, local mais adequado para os Fisioterapeutas crescerem. Não sou da opinião que devem apenas exercer nas clínicas de fisioterapia de ambulatório. E desta forma de certeza que a poupança por parte do SNS com os custos será muito maior, podendo assim nivelar os valores pagos pelos actos terapeuticos dos fisioterapeus de forma mais justa.
    Um Abraço
    Paulo Oliveira

  4. Estou no Canada desde 1989. Estive a trabalhar num hospital publico como Fisioterapeuta por 4 anos desde 2003 a 2007, durante este período lidei com estagiários de diferentes faculdades de Fisioterapia, como monitora de estágios. A minha conclusão pessoal e o meu desejo é a seguinte : que seria bom que os cursos de Fisioterapia tivessem no seu curriculum uma maior ênfase no exame e diagnostico das diferentes situações de patologia clínica e até na avaliação do doente feita pelo Fisioterapeuta e a partir dai , poderem até poder prescrever exames complementares de diagnostico, quando necessário, como se vai fazendo aqui no Canada(aonde existem cursos para fisioterapeutas ainda não habilitados para prescreverem exames radiológicos, Tacs e Ressonância Magnética) com formação noutros países ou de cursos antigos canadianos) e assim os futuros fisioterapeutas estariam mais habilitados com uma maior autonomia , e por consequência, haveria uma maior segurança do próprio fisioterapeuta na prestação de serviços de fisioterapia ao utente. E continuando com a minha opinião pessoal, em termos económicos. o Ministério da Saúde pouparia bastante mais, no corte de toda uma burocracia endémica estabelecida e enraizada no nosso Pais , em que o doente em Portugal se tem de sujeitar; beneficiando o encurtamento das listas de espera em instituições publicas . Mas colegas, temos de trabalhar sempre em colaboração com os outros profissionais de saúde, sendo a COLABORAÇÃO e a nossa própria sabedoria e humildade que mais vão beneficiar os nossos doentes. Dou os meus parabéns a todos os fisioterapeutas com quem lidei e contactei esses anos em que trabalhei em Portugal pela grande eficiência e esforços para além de qualquer limite e em verdade digo que já é tempo que os Fisioterapeutas portugueses sejam respeitados por todas as classes de profissionais de Saúde e pelos políticos portugueses de forma que seja apoiada e criada a Ordem de Fisioterapeutas, Parabéns a APF por todo o seu esforço empenhamento e qualidade.

  5. Devo felicitar a concepção deste plano nacional de saúde e a sua abertura perante novas propostas.A Apf elaborou um documento bem sustentado no qual se vê, o real potencial da fisioterapia e qual o reconhecimento que tem fora de portugal nomeadamente com a entrada para a WHPA.Felicitações para a Apf esperando resposta!!

    Obrigado Apf!

  6. Parabéns aos Fisioterapeutas e à Fisioterapia pelo reconhecimento que ela merece, como área científica e profissional, prestadora de cuidados de saúde de excelência, em que o etente, cliente, paciente é o centro da sua preocupação e principal beneficiado, aliás, o paciente deverá ser sempre o principal beneficiado dos cuidados prestados por todos os profissionais de saúde.

    Um sincero OBRIGADO à World Health Professions Alliance!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*