APFertilidade: Saúde Reprodutiva

1 de Agosto de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Cláudia Vieira, Associação Portuguesa de Fertilidade, 09/07/2010

APFerPor considerarmos de extrema importância darmos voz à comunidade que representamos, num momento em que são feitos investimentos significativos na área da saúde reprodutiva, não queríamos deixar de tecer algumas recomendações que nos parecem pertinentes:

  • Implementação efectiva do Programa Fértis como ferramenta de gestão uniforme e sustentada para o tratamento dos casais inférteis;
  • Estabelecimento de critérios objectivos no que diz respeito à razoabilidade do tempo de diagnóstico do casal, início dos tratamentos e espaçamento entre tratamentos:
  • Concretização e abertura dos centros de PMA e consultas de apoio à fertilidade previstos pela DGS, de modo a minimizar as discrepâncias geográficas e económicas, aumentar o número de ciclo de tratamentos, e reduzir as listas de espera existentes;
  • Formação de maior número de profissionais de saúde reprodutiva e contratualização com mais garantias de continuidade por parte do sector público;
  • Abertura de Banco Público de gâmetas;
  • Definição dos centros de tratamento para pessoas com doenças infecto-contagiosas

Estamos convictos de que a aplicação destas medidas terão um impacto positivo no número de nascimentos em Portugal, e por conseguinte, no crescimento demográfico, sendo portanto um investimento sustentado, aproximando-nos assim dos nossos parceiros europeus de excelência.

Cláudia Vieira (Presidente da Associação Portuguesa de Fertilidade)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*