APNEP: Nutrição no Plano Nacional de Saúde

24 de Novembro de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Lourdes Tavares, Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica, 15/11/2010

APNEPA Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica (APNEP) é uma Associação, sem fins lucrativos, pluridisciplinar formada por profissionais de saúde de diferentes áreas (médicos, farmacêuticos, dietistas, nutricionistas e enfermeiros). Tem como objectivo promover a Saúde e Qualidade de Vida da população, prevenindo a Mal-nutrição a nível hospitalar e a nível do ambulatório.

Tendo em conta este objectivo, apresenta-se de seguida o contributo da Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica para o estabelecimento da política de nutrição que integrará o Plano Nacional de Saúde para o período de 2011-2016.

O Problema da Mal – Nutrição

Apesar da opinião pública conhecer melhor o impacto da Mal-nutrição por excesso, a Mal-nutrição por carência constitui um escândalo internacional nos Cuidados de Saúde.

No último Plano Nacional de Saúde o enfoque é dado principalmente à Mal-nutrição por excesso, no entanto, a malnutrição por carência tem vindo a tornar-se também um grave problema de Saúde Pública. A Mal-nutrição por carência tem uma prevalência elevada nos países desenvolvidos com o envelhecimento e empobrecimento.

As consequências para a Saúde Pública do envelhecimento da população são consideráveis. Para além de um maior risco de desnutrição, existe um risco de agravamento das patologias como a diabetes e a osteoporose.

De acordo com o último senso populacional os idosos constituem 16,4% da população geral o que se traduz na elevada idade média da população assistida nos hospitais.

A nível hospitalar estima-se que cerca de 30 a 60% dos doentes possua algum grau de desnutrição na ocasião da admissão, que se tende a agravar durante o internamento.

A nível do ambulatório, os idosos e as crianças constituem grupos de especial risco de desnutrição.

(consultar contributo na integra)

Orientações estratégicas para implementação dum programa de suporte nutricional no Hospital e no Ambulatório

As orientações estratégicas recomendadas pela APNEP são as seguintes: no hospital; no ambulatório.

(consultar contributo na integra)

Orientações complementares

Para além das orientações básicas anteriormente referidas seria desejável a adopção das seguintes orientações complementares:

  • Para implementar este programa, será necessário promover o ensino contínuo de todos os profissionais de saúde (médicos, dietistas/nutricionistas, enfermeiros, farmacêuticos) na área da Nutrição Clínica idealmente com introdução do ensino da nutrição nas diferentes faculdades.
  • Promover programas de informação das necessidades nutricionais para a população em geral.
  • Publicar normas de orientação e protocolos de actuação.
  • O Registo Nacional de todos os doentes com suporte nutricional em ambulatório deveria ser obrigatório.
  • Este programa deveria ser alvo de auditorias periódicas para avaliação de qualidade e eficácia.

Documentos de apoio:

Lourdes Tavares (Presidente da Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*