Contexto de Internamentos Evitáveis

5 de Agosto de 2010 / 1 Comentário Bookmark and Share

Estudos

No âmbito do exercício de cálculo de potenciais ganhos em saúde, tendo em vista a selecção de indicadores que possibilitassem medir morbilidade, o Gabinete Técnico elaborou um documento metodológico onde identifica algumas abordagens relativas aos internamentos evitáveis adoptadas por diferentes países e/ou instituições: Canadian Health Indicators, US Agency for Healthcare Research and Quality, OECD Health Care Quality Indicator Project.

O seu contributo

Com o objectivo de completarmos e melhorarmos este documento solicitamos o seu contributo e agradecemos toda a análise crítica que considere pertinente.

Visualize o documento:

Um comentário sobre “Contexto de Internamentos Evitáveis

Comentar ou contacte-nos via Twitter @pns

  1. O conceito de ” internamento evitável”, abrange como se pode ver, inúmeras especialidades.
    Se vai sendo, mais ou menos claro, que a presença de psicólogos no Campo da Saúde mental é fundamental, nomeadamente (para além de muitos outros) neste contexto dos internamentos evitáveis, parece-me que ainda não é para todos claro, a importância dos psicólogos noutras áreas que implicam adesão a planos terapêuticos e alterações de hábitos e comportamentos, fundamentais em inúmeras áreas da saúde para evitar o internamento.
    Para isto é necessário que os psicólogos trabalhem em proximidade com os médicos de família nas ACES, quer em consultas a utentes por eles enviados, quer em equipas de UCC, mas também inseridos nas equipas de diversas especialidades nos CSH, não só numa perspectiva preventiva, como de actuação em situação de crise, que pode ser preventiva em relação a ocorrências futuras.
    Como se pode ler ao longo do PNS, as questões de cidadania e saúde passam pela educação e apoderamento (empowerment), só possíveis em relações de proximidade com a população, numa perspectiva de responsabilização mútua de prestadores de cuidados e de utentes desses mesmos cuidados, com vista à prevenção, à utilização racional dos recursos e o evitar de situações de internamento. Neste trabalho é fundamental a presença de psicólogos enquanto técnicos capazes de potencializar comportamentos de mudança de forma mais eficaz.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*