CMÉvora: Aposta nas Parcerias Locais

13 de Setembro de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Maria  Luísa Cavaco Policarpo, Câmara Municipal de Évora, 31/08/2010

cmevora1) Em que áreas podem os Portugueses obter mais ganhos em saúde de forma sustentável?

  • Trabalhando com e para as pessoas em termos de Promoção da Saúde e Prevenção da Doença;
  • Implementando Estratégias de Intervenção focadas na Promoção de Estilos de Vida Saudáveis;
  • Investindo no trabalho de empowerment que permita a capacitação e responsabilização das pessoas em tomadas de decisão relacionadas com a sua própria saúde.

2) Que expectativas possui relativamente ao PNS 2011-2016? Como é que este pode ser útil na obtenção de mais valor em saúde?
Esperamos que o PNS 2011-2016 venha a ser um instrumento que permita a valorização das parcerias locais em matéria de saúde, reconhecendo o papel fundamental que as autarquias directa ou indirectamente assumem na promoção de estilos de vida saudáveis bem como no apoio que disponibilizam aos seus munícipes em situação de doença e velhice.

Esperamos ainda que o PNS assuma como indispensável a humanização e personalização dos cuidados de saúde bem como a melhoria das acessibilidades aos mesmos permitindo uma “Saúde para Todos…”

3) Como é que o PNS 2011-2016 pode apoiar a missão da vossa instituição na obtenção de ganhos em saúde de forma sustentável?

Sendo a missão principal de uma autarquia a melhoria da qualidade de vida dos seus munícipes, o PNS deve contemplar medidas que promovam a saúde, que minimizem a doença ou o seu impacto, que permitam o acesso fácil aos cuidados de saúde a toda a população, o que contribuirá para o sucesso deste primeiro e principal objectivo.

4) Como é que os resultados da vossa instituição, na obtenção de ganhos em saúde, podem ser percebidos, medidos e valorizados?

Em termos gerais a avaliação da obtenção em ganhos de saúde pode ser realizada através de instrumentos que permitam a avaliação do Bem-Estar (enquanto indicador de Qualidade de Vida) da população em termos físicos, psicológicos e sociais.

Neste momento muito do trabalho da autarquia situa-se essencialmente ao nível da prevenção primária, centrando-se na promoção de estilos de vida saudáveis e prevenção de comportamentos de risco junto das crianças e jovens, pelo que a avaliação dos ganhos da população em temos de benefícios para a saúde só poderá ser efectuada a médio/ longo prazo.

Maria  Luísa Cavaco Policarpo (pela Câmara Municipal de Évora)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*