ESTSP: A Importância da Saúde Auditiva

7 de Junho de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Aida Rosalina da Silva e Sousa, Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto, 16/05/2010

ESTSPA surdez é a alteração sensorial mais comum no ser humano. Estima-se que aproximadamente 4% de indivíduos com menos de 45 anos e 29% com 65 ou mais anos tenham défice auditivo. A surdez severa a profunda afecta cerca de 1:1000 recém-nascidos. Estudos efectuados demonstram que entre 2% e 4% dos recém-nascidos internados na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais têm défice auditivo. Sabe-se, igualmente, que mais 1:1000 crianças ficam surdas antes da idade adulta, sendo estas formas de surdez menos graves e progressivas.

A importância da comunicação humana, despertou desde sempre a atenção da investigação cientifica, na procura da dimensão técnica e simbólica que complementa as capacidades inatas do homem.

A linguagem é o instrumento de comunicação mais poderoso, organizado numa multiplicidade de códigos complexos, cuja especificidade permite restringi-la a uma dada comunidade humana, constituindo-se como língua. Sendo a linguagem uma forma de comunicação, especificamente humana, não serve apenas para comunicar, a sua existência, constitui o suporte do pensamento.

A capacidade de expressão oral permite o desenvolvimento cognitivo do indivíduo. Através da produção dos sons da fala, da sua captação e da atribuição de um significado a partir de um código estruturado e complexo, estabelece-se uma interligação entre diferentes sujeitos, que dominam um código comum. A audição desempenha neste processo um papel fundamental, que permite captar a informação sonora, descodificando-a em seguida, daí que o facto de existir uma surdez profunda seja impeditivo de uma boa comunicação oral.

A audição é um fenómeno complexo que requer um estímulo sonoro e uma integração mental do mesmo. Este fenómeno permite, a uma criança com audição normal, a aquisição da linguagem, não só como meio de expressão e comunicação, mas também como contributo poderoso da formação da própria personalidade humana.

Documento de Apoio:

Aida Rosalina da Silva e Sousa (Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*