Instituto Piaget: Modelo de Gestão Participativo

11 de Novembro de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado pelo Instituto Piaget, 28/05/2010

piaget1) Em que áreas e como podem os Portugueses obter mais ganhos em saúde de forma sustentável?

De forma a podermos obter mais ganhos em saúde, consideramos indispensável intervir de forma efectiva e eficaz na área dos cuidados de Saúde Primários, os quais exigem uma contínua intervenção na avaliação do estado de saúde da população nos diferentes ciclos de vida, com o objectivo de promover a saúde e prevenir a doença.

É igualmente importante, criar mais Centros de Reabilitação/Reintegração Psicossocial ajustados às necessidades específicas da população e adequados às várias áreas de intervenção possíveis, tais como, doença mental, toxicodependência e alcoolismo, doenças sexualmente transmissíveis, deficiências, entre outras.

Consideramos que podem ser desenvolvidos programas de reabilitação, quer com o reforço de equipas especializadas no acompanhamento e intervenção nas áreas anteriormente mencionadas, quer a partir de incentivos às associações de utentes, de familiares e amigos, casas de abrigo, etc., na constituição de programas de formação profissional, de emprego protegido, acções de esclarecimento e dinamização de actividades culturais, lúdicas e desportivas, os quais, promovem uma melhor e maior qualidade de vida participativa. Este tipo de projecto é também vantajoso, uma vez
contribui para desmistificar preconceitos e mitos por parte da comunidade, a qual poderá passar a agir, cada vez mais, como um elemento importante na detecção de comportamentos de risco em relação à Doença.

Consideramos que, uma outra frente que pode contribuir com ganhos de saúde de forma sustentável consiste no desenvolvimento de projectos de integração entre instituições de Ensino e Serviços de Saúde. Por exemplo, a criação de pequenas Unidades de Saúde, Clínicas de fisioterapia, reabilitação e cuidados continuados, lares de 3ª idade, infantários, Unidades Móveis de Saúde, etc., pelas Instituições de ensino, apoiadas pelo SNS, poderiam oferecer cuidados a preços bastante reduzidos, enquanto, simultaneamente, se prestaria assistência e formação em saúde.

2) Que expectativas possui relativamente ao PNS 2011‐2016? Como é que este pode ser útil na obtenção de mais valor em saúde?

As nossas expectativas são de que sejam seguidas as orientações e políticas de saúde estabelecidas, isto é, ênfase nos Cuidados de Saúde Primários e prevenção das doenças. Esperamos, também, que venham a ser corrigidos alguns dos problemas já há muito identificados, como a porta de entrada do sistema, a desigualdade de acesso, o sistema integrado de referência e contra‐referência, bem como, esperamos que venha a ser elaborado um modelo de gestão participativo que acompanhe efectivamente o desenvolvimento das metas propostas.

3) Como é que o PNS 2011‐2016 pode apoiar a missão da vossa instituição na obtenção de ganhos em saúde de forma sustentável?

  • Incluindo as Escolas Superiores de Saúde do Instituto Piaget enquanto entidades formadoras no domínio da saúde e como parceiras efectivas nas acções de rastreio a realizar pelos serviços de saúde locais da área geográfica em que aquelas se situam;
  • Implicando as Escolas Superiores de Saúde do Instituto Piaget em projectos conducentes à avaliação dos níveis de concretização dos objectivos do próprio PNS e ainda uma possível integração de programas a desenvolver (na fase da concepção e/ou execução e/ou avaliação).
  • Proporcionando o acesso equitativo aos estágios nos serviços públicos de saúde aos estudantes de instituições de ensino privado/ cooperativos sem fins lucrativos.

4) Como é que os resultados da vossa instituição, na obtenção de ganhos em saúde, podem ser percebidos, medidos e valorizados?

Os resultados da nossa instituição, na obtenção de ganhos em saúde, podem ser percebidos, medidos e valorizados a vários níveis:

  • Intrínseco, no que refere à implementação de acções de promoção da saúde, quer na população escolar, quer na comunidade em geral, especificamente nas áreas da Obesidade, Doenças Cardiovasculares, Hipertensão Arterial, Diabetes, Boas Práticas no domínio alimentar, e na promoção do exercício físico (Academia do Desporto) para toda a comunidade académica. Têm sido desenvolvidas diversas actividades no âmbito da Educação para a Saúde, nomeadamente: avaliação dos níveis de Glicémia e de Colesterol, avaliação dos sinais vitais, participação em simulações de acidentes e socorro, sessões de esclarecimento, entre outras;
  • Extrínseco, no que refere ao contributo em termos de projectos de promoção (para crianças do ensino pré‐escolar) e intervenção/ reabilitação (para jovens inadaptados) que têm sido realizados, cuja avaliação poderá contribuir para a percepção dos ganhos em saúde obtidos; Através de estudos de qualidade de vida – Projecto AQUAs (Avaliação de Qualidade de Vida e Saúde) Projecto Saúde em Dia – Desporto Faz Bem; estudo de empregabilidade dos estudantes; estudo sobre os resultados da integração ensino/assistência nos serviços parceiros na formação em saúde; Podem ainda ser percepcionados através dos resultados obtidos pelos serviços de saúde dos quais os nossos alunos estagiários são parte activa, integrando as equipas e participando em todos os programas de saúde que são desenvolvidos: na comunidade e nas instituições.

Instituto Piaget

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*