Opinião: Papel Crítico dos Sistemas de Informação na Saúde

28 de Setembro de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Opiniao3Luís Velez Lapão, Professor Auxiliar de Gestão de Saúde, Instituto de Higiene e Medicina Tropical, Universidade Nova de Lisboa, elaborou uma reflexão no âmbito do Plano Nacional de Saúde 2011-2016 sobre os Sistemas de Informação e o contexto da saúde.

Este documento encontra-se dividido em 7 capítulos, sendo alguns deles: valor dos Sistemas de Informação nas organizações de saúde; identificação efectiva dos problemas; Ehealth: um novo paradigma para os Sistemas de Informação na saúde; desafios e questões em aberto; e recomendações.

Segundo o autor este documento debruça-se sobre :

(…) o papel crítico dos sistemas de informação (SI) para a Saúde. Nas últimas décadas os SI começaram a ter um papel importante, sendo mesmo a sua falta, ou fragilidade, apontada como um dos principais problemas actuais. Contudo, este ―problema crítico não tem sido devidamente acompanhado pela gestão e pelas instituições públicas ligadas à saúde. Exemplo disso, é o facto deste tema não ter sido alvo de debate, até esta altura, no exercício do PNS 2011-2016.

Pretende-se com este texto demonstrar que os SI são de facto um problema crítico e que para tal é necessário tomar medidas concretas e políticas efectivas (não necessariamente mais dinheiro). Medidas que não sejam simplesmente o fazer relatórios (mais ou menos mediáticos) e gastar muito dinheiro em adjudicações de software aplicacional de empresas, grande parte das vezes pouco adequado aos problemas verdadeiros dos Serviços de Saúde. Sabemos, por experiência própria também em Portugal, quão difícil é desenvolver um SI na Saúde e que levou mesmo Morris Collen2 a comparar este desafio ao de ―levar o homem à Lua, porque se trata efectivamente de um esforço de médio-longo prazo de experimentação e aprendizagem constante, o que exige a participação e a colaboração de profissionais muito qualificados de diversas áreas do conhecimento.

Visualize o documento:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*