Opinião: Recursos Humanos em Saúde

4 de Março de 2011 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Casimiro Dias, World Health Organization Regional Office for Europe, 03/02/2011

omsOs contributos à análise especializada de Recursos Humanos focam-se em dois aspectos centrais:

  • Primeiro, a necessidade de uma abordagem global e compreensiva, orientada para o contexto nacional e internacional, assim como para o sistema de saúde.
  • Segundo, uma perspectiva dinâmica centrada no desenvolvimento de novas competências em saúde dos profissionais de saúde.

Considero que o relatório a desenvolver pela OMS Europa sobre Recursos Humanos, discutido no BCA 2010/2011, trará valor acrescentado ao integrar estes dois aspectos em recomendações práticas baseadas nas inovações que já existem em Portugal.

1. Abordagem global e compreensiva, orientada para o contexto nacional e internacional, assim como para o sistema de saúde.

A complexidade dos actuais e emergentes desafios em recursos humanos em saúde em Portugal requerem:

  • Primeiro, uma abordagem compreensiva que inclua aspectos como politica de saúde, finanças, educação, gestão de recursos humanos, liderança e parcerias.
  • Segundo, a integração no contexto do Pais e do sistema de saúde, com uma perspectiva prática, orientada para a acção e implementação de medidas através da identificação dos factores crítico de sucesso.

O Modelo de Acção em Recursos Humanos em Saúde tem o potencial de contribuir para integrar novos aspectos na análise especializada apresentada, nomeadamente numa perspectiva intersectorial, envolvendo outros Ministérios, assim como a identificação de factores de sucesso crítico para a acção.

Figura 1: Modelo de Acção em Recursos Humanos em Saúde

Modelo de Acção em Recursos Humanos em Saúde

Fonte: Human Resources for Health Action Framework, World Health Organization, Geneva, 2008

2.       Abordagem dinâmica orientada para o desenvolvimento de novas competências em saúde dos profissionais de saúde.

Uma importante oportunidade de inovação para a melhoria saúde entre as diversas é reformar a visão, os programas e os sistemas de ensino e de formação ao longo da vida para capacitar os profissionais de saúde a responder às necessidades das pessoas, reforçar as comunidades, e promover a melhoria da saúde e bem-estar.

Figura 2: Três gerações de reformas na educação de profissionais de saúde

Três gerações de reformas na educação de profissionais de saúde

Fonte: Frenk, J. et al (2010) Profissionais de Saúde para um novo século: educação transformadora para fortalecer os sistemas de saúde em um mundo interdependente. The Lancet, v. 376 de 4 de dezembro de 2010

Actualmente, assiste-se a uma importante mudança da educação baseada em ciência, com um currículo científico desenvolvido por Universidades, para a educação baseada em sistemas guiado por competências e centrado em sistemas integrados de saúde e educação.

Reconhecendo este como o principal desafio no desenvolvimento dos profissionais de saúde para o século XXI, a solução passa pelo desenvolvimento de currículos centrados em competências e a aprendizagem baseada em equipas multiprofissionais.

A educação centrada em competências permite um processo de aprendizagem individualizado, onde os estudantes têm a oportunidade de explorar uma variedade de opções e métodos no desenvolvimento de competências profissionais. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de novas competências, mais adequadas às novas necessidades em saúde, deve ser central na educação e avaliação dos profissionais de saúde. Por último, através do foco em competências profissionais, emergem novas oportunidades para um desenho mais inovador dos sistemas de saúde. Este contexto de inovação em recursos humanos terá impacto em todo o sistema de saúde, permitindo por exemplo, encontrar áreas de colaboração nas tradicionais fronteiras entre diferentes profissões, assim como conseguir um melhor alinhamento entre os diferentes papeis dos profissionais de saúde e mecanismos de incentivos,

Figura 3: Educação baseada em competências

Educação baseada em competências

Fonte: Frenk, J. et al (2010) Profissionais de Saúde para um novo século: educação transformadora para fortalecer os sistemas de saúde em um mundo interdependente. The Lancet, v. 376 de 4 de dezembro de 2010.

A educação interprofissional envolve aprendizagem conjunta de estudantes de duas ou mais profissões e contribui para o trabalho em equipa. Apesar de simples em termos conceptuais, a educação interprofissional é complexa na prática e necessita de ser promovida.

Figura 4: Modelos de educação interprofissional e transprofissional

Modelos de educação interprofissional e transprofissional

Fonte: Frenk, J. et al (2010) Profissionais de Saúde para um novo século: educação transformadora para fortalecer os sistemas de saúde em um mundo interdependente. The Lancet, v. 376 de 4 de dezembro de 2010. ¨

De acordo com o relatório da Global Independent Commission on Education of Health Professionals for the 21st Century, o modelo de educação interprofissional baseado em competências reforçará a função primária de assegurar o acesso a serviços de alta qualidade para a população através do envolvimento com as comunidades locais e integração de cuidados de saúde.

As diferentes finalidades institucionais no sector da educação, investigação e serviços de saúde podem ser alinhadas para a promoção de sinergias através por exemplo de redes de cooperação, alianças e parcerias.

O PNS 2011-2016 tem o potencial de reforçar e promover novas formas de colaboração entre diferentes organizações e sectores na área da saúde e educação. Tal deverá ser baseado nos casos de sucesso já existentes. O próprio relatório da Global Independent Commission realça o exemplo da rede lusófona de institutos nacionais de saúde, promovido pelo Alto Comissariado da Saúde, no âmbito da CPLP.

Anexa-se o Relatório da Global Independent Commission on Education of health professionals for the 21st century.

Documentos de apoio:

Casimiro Dias (Technical Officer, World Health Organization Regional Office for Europe)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*