Opinião: Programa de Educação para a Saúde Mental

5 de Janeiro de 2011 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Raul Cordeiro, Escola Superior de Saúde-Instituto Politécnico de Portalegre, 16/12/2010

OpiniaoA população jovem é especialmente vulnerável a fenómenos como a exclusão social, em especial, na fase de transição da vida escolar para a vida laboral, com todas as implicações que daí podem advir para a capacidade de desenvolver um sentido de futuro.

Em comparação com a população adulta, os jovens são um grupo de risco de doença mental pela vulnerabilidade a que estão sujeitos na sociedade actual, tais como preocupações de natureza financeira, emprego, oportunidades de formação ou desorganização familiar. Note-se que o modelo de família tem sofrido rápidas transformações revelando novas representações sociais e um campo fértil para as perturbações do foro mental.

Apesar de recolhida a informação, de elaborados os dados e múltiplos estudos tem sido difícil implementar um plano consistente e articulado de educação para a saúde mental junto da população adolescente.

Raul Cordeiro (Escola Superior de Saúde-Instituto Politécnico de Portalegre)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*