Opinião: Valorização da Prevenção e Tratamento de Feridas Crónicas

25 de Maio de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Graça Maria Cainé Salvador, Centro de Saúde de Anadia, 13/05/2010

opiniaoContinuo a insistir no facto de não haver nenhum Programa Nacional que valorize a prevenção e tratamento de feridas crónicas. Continuamos a assistir ao tratamento dessas feridas baseadas em conhecimentos empíricos mais que ultrapassados, em todas as áreas, quer dos Cuidados de Saúde Primários, quer da área hospitalar, onde isto ainda é mais evidente. Penso que devia-se apostar mais formação OBRIGATÓRIA dos profissionais (médicos e enfermeiros) e na monitorização global dessas situações. Havendo uma monitorização proposta por um programa nacional, seria fácil medir ganhos em saúde (depois da formação a todos os profissionais)com a redução da incidência dessas situações.

Peguemos num exemplo:

Um programa do qual faça parte: a formação de cuidadores formais (funcionários de lares e Centros de dia) e informais no sentido de promover material e técnicas de prevenção de úlceras de pressão; a formação de médicos e enfermeiros(cuidados de saúde primários e especialidades hospitalares)na área de tratamento de feridas; uma monitorização de IPTB nos indivíduos com insuficiência venosa periférica, com a promoção efectiva de uso de meias elásticas segundo cada situação. Penso que, com uma monitorização adequada, seria fácil obter muitos ganhos em saúde, reduzindo internamentos e evitando situações de morbilidade que são muito frequentes.

Mais uma vez, obrigada.

Graça Maria Cainé Salvador (Centro de Saúde de Anadia)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*