Opinião: Cuidados de Saúde ao Idoso

3 de Maio de 2010 / 1 Comentário Bookmark and Share

Contributo enviado por Luís Barreira, Misericórdia Vila Verde, 12/04/2010

opiniaoPenso que é muito importante retratar neste Plano Nacional de Saúde (PNS) a necessidade de apoiar os cuidadores informais, financeiramente, para cuidarem dos seus idosos dependentes. Como todos sabemos neste momento o estado paga a famílias de acolhimento para cuidarem de idosos, no entanto não financia a própria família para cuidar dos seus idosos, o que leva a que estes mesmos idosos dependentes estejam entregues aos cuidados de outras famílias que não a sua própria família. A grande maioria das famílias portuguesas não têm recursos financeiros para assegurarem os cuidados em casa, pondo em causa o seu próprio emprego.

Relativamente ao sector social, penso que o PNS deve conter medidas estratégicas que apoie este sector e que promova os seus serviços no sentido de colmatar as lacunas do Sistema Nacional de Saúde (SNS). Existem instituições de saúde no sector social com recursos humanos e equipamentos capazes de dar resposta a diversas situações, nomeadamente na recuperação da lista de espera para cirurgia do SNS, consultas de especialidade, cuidados continuados, etc.

Luís Barreira

Um comentário sobre “Opinião: Cuidados de Saúde ao Idoso

Comentar ou contacte-nos via Twitter @pns

  1. Com efeito os apoios disponiveis para o apoio à família (complemento de dependência e ajudas técnicas) são manifestamente inferiores aos apoios para cuidar de terceiros. Além da falta de fiscalização destes cuidadores formais (pagos pela Segurança Social), quem melhor que nós para cuidar dos nossos (sempre claro que houver acompanhamento de proximidade com o respectiva equipa multidisciplinar de saúde da UCC/USF).

    As licenças sem vencimento ou faltas para apoio a idosos e familiares dependentes são também bastante penalizadoras, muitas vezes o dilema da institucionalização sucede do medo de desemprego. Também muitos idosos querem permanecer nos seus lares com os seus entes queridos, e tal deverá ser respeitado por forma a integrar o idoso no seu meio social, seja ele a sua casa, o seu centro de dia, ou Lar de idosos.

    Contraponho igualmente além da verba de apoio a necessidade de apoio na comunidade em proximidade, em géneros ou serviços (p.ex: apoio diurno Centro de Dia/UCC, tele-vigilância, Roupa e Alimentação, acompanhamento de proximidade pela Equipa de Saúde, Grupos de Ajuda dos Cuidadores) por forma a prevenir a Exaustão da Família e a Saturação do Papel – que muitas vezes não se resolve apenas com subvenções ou dinheiro.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*