Opinião: Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde

2 de Agosto de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Etelvina Ferreira, 13/07/2010

OpiniaoAs Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde (IACS) constituem hoje um dos maiores desafios da medicina, quer pelas suas implicações na segurança dos doentes e na qualidade dos cuidados, quer pelos seus custos económicos e sociais associados.

Na Europa e EUA, 5-10% dos utentes adquirem uma ou mais infecções. Nas Unidade de Cuidados Intensivos as IACS afectam cerca de 30% dos doentes e a mortalidade atribuível ronda os 44%. Ainda nos EUA, as IACS são causa directa de aproximadamente 80 000 mortes por ano, e de 5 000 na Inglaterra. Os custos das Infecção do Trato Urinário são de cerca de 500 euros por caso e 40.000 euros para as Infecções da Corrente Sanguínea nas Unidades de Cuidados Intensivos. Esta é uma realidade inquietante.

O relatório da EARSS (European Antimicrobial Resistance Surveillance System), que fornece análises de tendência com informação de retorno através de um website interactivo (www.rivm.nl/earss), refere que quase todos os países europeus demonstram descidas ou estabilização nas taxas de MRSA com a excepção de Portugal e Malta, os dois países em que a taxa é superior a 50%.

O Inquérito Nacional de Prevalência realizado em Maio de 2009, obteve uma prevalência de doentes com IACS de 9,8% e de doentes com Infecções adquiridas na Comunidade (IC) de 20,3%. O estudo anterior realizado em Maio de 2003 obtivera uma prevalência de 8,7% de doentes com IACS e 22,7% de doentes com IC. Em 2009 Staphylococcus aureus meticilina resistente (MRSA) foi o microrganismo mais frequentemente isolado nas IN (15,8%).

Dadas as dificuldades no acesso a informação que permita uma análise séria deste problemática e, porque é fundamental acompanhar a avaliação dos resultados para proceder a eventuais alterações e, assim, garantir o cumprimento das metas estabelecidas a nível local e central, é urgente que as CCIs tenham o apoio e o acompanhamento necessário dos Órgãos Centrais (DGS / PNCI) de forma a estarem capacitadas para dar resposta a esta necessidade urgente no país.

Etelvina Ferreira

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*