Opinião: Depois de vos ouvir, uma reflexão

3 de Agosto de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Ventura de Mello-Sampayo, Instituto Superior Dom Afonso III, 16/07/2010

OpiniaoDepois de vos ouvir, uma reflexão … Claro que o assunto está a ser tratado como a maior seriedade e competência, porém alguns conceitos científicos apresentam uma utilização discutível, pois Plano e Estratégia têm ordem, como se ensina nas escolas de reputada referência, Havard, MIT (Sloan School of Management), London School of Management, Universidade da Beira Interior e no INUAF, e em qualquer escola de ensino sobre defesa.

Todas as acções importantes começam por uma estratégia, só depois se elaboraram os planos.

O conceito saúde deve sobrepor-se ao conceito doença, o plano é de saúde não de doença, na sessão a que assisti, a maioria, se não todos, dos interveniente falaram mais da doença do que da saúde.

Por exemplo nas escolas militares a estratégia é a Paz, a guerra (doença, neste domínio) é o meio para se fazer a Paz, o ânimo, a razão de ser, é a Paz, aqui a razão de ser é a Saúde, o combate à doença é um dos meios.

Portanto toda a estratégia deve ser elaborada a pensar na Saúde e como a ter como condição de vida, paralelo à Paz, condição primeira para o desenvolvimento, a segunda a Saúde.

Sobre os stakeholders (os interessados em português, claro) a vossa escolha parece-me correcta, mas o colocar no terreno uma estratégia não é tarefa fácil ainda por cima como tantos stakeholders (915 e tão diversificados).

Manuais sobre estratégia ensinam-nos como fazer e dão-nos exemplos, segui-los revela-se muitas vezes uma boa prática e consequente Falando com jovens sobre o assunto, estes dizem-me claramente que a actuação em Saúde deve começar por prevenção, utilizar as alavancas das rede de Escolas, todas elas, da rede de Freguesias, todas elas, dos meios e instrumentos de Segurança e Defesa, todos eles, mas as escolas aparecem como o caminho, mais relevante em Saúde, pois o exemplo no caso do ambiente e dos desperdício deixa-nos antever que os jovens (5 a 14 anos) podem jogar um papel relevantíssimo, pois serão eles que levarão a mensagem para os seus familiares e vizinhos, e gostam de o fazer, sentem-se bem ao fazê-lo.

O Desporto, revela-se também essencial ao bem-estar futuro de cada cidadão e portanto das comunidades, pois estas são feitas de cidadãos.

As redes de desporto, quer amador quer profissional, devem ser utilizadas para divulgar boas práticas e a necessidade de manter um corpo são como condição de ser cidadão responsável e activo.

A informação escrita nos mais diversos produtos alimentares, a sua sistemática divulgação em programas agradáveis de televisão nas horas da família, pode ajudar à disseminação do conceito Saúde e vida com saúde.

Face ao exposto irei logo que possível aprofundar a informação disponível no vosso local na net e contribuir a tempo, logo que possível.

Ventura de Mello-Sampayo (Catedrático de Estratégia, Instituto Superior Dom Afonso III)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*