RESPIRA: Doenças Respiratórias Crónicas

7 de Julho de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Isabel Saraiva, RESPIRA – Associação Portuguesa de Pessoas com DPOC e outras Doenças Respiratórias Crónicas, 28/05/2010

respira“Maximizar os ganhos em saúde da população através do alinhamento e integração de esforços sustentados de todos os sectores da sociedade, com foco no acesso, qualidade, políticas saudáveis e na cidadania”.

Em que áreas e como podem os Portugueses obter mais ganhos em saúde de forma sustentável?

  • Na prevenção e controlo das doenças respiratórias crónicas, na melhoria da facilidade de acesso à medicação, equidade e universalidade no acesso aos cuidados, na educação para a saúde respiratória, com campanhas sobre tabagismo,na aplicação cuidada da legislação ambiental, no empoderamento dos doentes e familiares da doença respiratória crónica.
  • Deve ser enfatizado o compromisso de Portugal com a GARD, muitas vezes são esquecidos os compromissos com Organizações Internacionais para a concretização de determinados programas.

Que expectativas possui relativamente ao PNS 2011‐2016? Como é que este pode ser útil na obtenção de mais valor em saúde?

  • Valorizando as medidas necessárias à prevenção e tratamento das doenças respiratórias crónicas.

Como é que o PNS 2011‐2016 pode apoiar a missão da vossa instituição na obtenção de ganhos em saúde de forma sustentável?

  • Tomando medidas que visem o aumento da qualidade de vida das pessoas com doença respiratória crónica e ajudando a dar visibilidade à saúde respiratória.

Como é que os resultados da vossa instituição, na obtenção de ganhos em saúde, podem ser percebidos, medidos e valorizados?

  • Estatisticamente, pela redução de número de mortes e hospitalizações.
  • Socialmente, pela visibilidade que as Associações como a nossa podem transmitir com a organização de actividades/eventos que promovam uma melhor saúde respiratória.

Isabel Saraiva (Vogal da Direcção da RESPIRA – Associação Portuguesa de Pessoas com DPOC e outras Doenças Respiratórias Crónicas)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*