Ainda a Saúde em Portugal

4 de Fevereiro de 2011 / Bookmark and Share

Contributo enviado por Augusto Küttner de Magalhães, 01/02/2011

OpiniaoQuando pensamos – hoje – os cuidados que já temos em saúde “nacional” e se andarmos uns 40 anos para trás, as diferenças – hoje – são tremendamente positivas.

Hoje, numa situação de falta de saúde – por exemplo – na velhice, o recurso a transporte apropriado do doente, o acolhimento/tratamento nos hospitais, é o “oposto” do que acontecia há 40 anos.

Ou seja, hoje existe, hoje trata-se, hoje acontece, tudo de melhor do que acontecia vai para 40 anos.

Pelo que, hoje haver cidadania para a Saúde, haver uma conscienlização para sabermos preservar a nossa saúde e dos nossos familiares, e em simultâneo, mesmo com a crise, saber-se continuar a ter os cuidados que hoje já alcançamos é essencial.

E tudo o que neste sentido possa ser feito, passa a ter que ser obrigação dos profissionais de saúde, mas também nossa , como cidadãos, como familiares de doentes, como doentes, e está também na saúde, chegado o momento de todos termos que fazer em tudo parte da solução, e não sempre, e só, do problema!

Daí cada vez mais uma cidadania assumida para a saúde, uma ligação com os profissionais de saúde, mesmo antes de se estar doente!

Daí ter que se estar atento a tudo que com a saúde se relacione, nomeadamente a forma de conhecer, também o PNS de 2011 a 2016.

Augusto Küttner de Magalhães