UAL-CEEFE: Saúde em Todas as Políticas – Ganhos Efectivos para a Saúde em Portugal

12 de Novembro de 2010 / Sem Comentários Bookmark and Share

Contributo enviado por Denise Capela dos Santos, Universidade Autónoma de Lisboa – Centros de Estudos em Estratégias e Finanças Empresariais, 20/09/2010

ualEste trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Política e Economia da Saúde, do MBA em Gestão e Economia da Saúde, que está actualmente a decorrer na Escola de Gestão e Negócios, da Universidade Autónoma de Lisboa.

O objectivo geral da Universidade com a participação neste projecto, é o de contribuir activamente para se pensar em saúde e para que a implementação de “Saúde em todas as políticas” se converta em ganhos efectivos para a saúde em Portugal.

Solicitou-se aos alunos que se debruçassem sobre os quatro eixos estratégicos, definidos pelo Alto Comissariado da Saúde (ACS) como essenciais para o novo Plano Nacional de Saúde (PNS) 2011-2016 (Cidadania, Acesso, Qualidade e Políticas Públicas Saudáveis) e que, tendo em conta a sua experiência profissional e pessoal, e a matéria abordada em aula, sugerissem estratégias que permitissem a implementação do conceito de cada um dos eixos num sector/entidade da saúde.

O resultado obtido apresenta-se seguidamente. Para o conceito de Cidadania acabou por se optar por uma abordagem generalista no Sistema de Saúde, embora se tenha estudado especificamente o Acesso na Saúde Visual, a Qualidade na Farmácia Hospitalar e Políticas Públicas Saudáveis na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados. Os textos foram revistos pelos coordenadores do MBA, o Professor Doutor Álvaro Lopes Dias e a doutoranda Denise Capela dos Santos, tendo a mesma intervido ainda na sua elaboração. De modo a complementar o trabalho, aliando os resultados mais recentes em investigação ao planeamento efectivo do novo PNS, foi elaborado um breve resumo sobre os resultados de investigação apresentados na oitava Conferência Europeia de Economia da Saúde, relativamente a cada um dos referidos eixos.

As opiniões inseridas no presente trabalho são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.

Constata-se que os eixos estratégicos definidos para o novo PNS são pertinentes, uma vez que só será possível obter ganhos de saúde através de políticas públicas saudáveis, privilegiando a cidadania, melhorando o acesso e a qualidade dos cuidados de saúde, com uma adequada gestão entre celeridade e sustentabilidade.

Visualize o contributo na integra:

Denise Capela dos Santos (Universidade Autónoma de Lisboa – Centros de Estudos em Estratégias e Finanças Empresariais)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*